Piauí: Policiais denunciam

A Polícia do Piauí está em crise. Problemas tanto na Polícia Civil como na Militar. Há meses alguns civis têm ameaçado fazer greve. Nesta quarta-feira eles se reuniram e disseram que podem fazer uma paralisação por 48h e depois deflagra greve geral não trabalhando nem mesmo no Carnaval. Já os PMs informaram à reportagem do 180graus que estão sem receber do Governo do Estado por serviços prestados no litoral do Piauí no período das férias de fim de ano.

POLÍCIA CIVIL
Os policiais civis se reuniram nesta quarta-feira (06/01) em assembleia geral organizada pelo Sindicato dos Policiais Civis do Piauí e trataram sobre reajuste salarial, transferência de presos e outros problemas. A categoria reclama da disparidade entre a gratificação de delegados e agentes, que é, segundo eles, de 600%  O presidente do sindicato, Cristiano Ribeiro, informou que um policial civil ganha 20% do que ganha um delegado.

Caso não exista um acordo com o Governo do estado, os policiais civis promete fazer uma paralisação de 48h já na próxima segunda-feira (11). Daí em diante, podem deflagrar greve geral e ficar até o m~es de fevereiro, quando acontece o Carnaval, de braços cruzados. Desde novembro de 2009 os policiais civis deflagraram uma espécie de ‘greve branca’, onde operam a passos de tartaruga dentro das delegacias. O secretário estadual de Segurança Robert Rios (PCoB) prometeu descontar no contra-cheque de quem não trabalhar.

POLÍCIA MILITAR
O caso dos PMs atinge aqueles que foram fazer a segurança os turistas que estavam passando o período de férias de fim de ano no litoral do Piauí. Alguns PMs, que pediram para não ter seus nomes revelados, alegaram que está havendo atrasos no pagamento e faltou estrutura de trabalho à categoria. Eles mostraram em fotos que ficaram hospedados em uma escola da rede pública, a Unidade Escolar Ricardo Augusto Veloso, sem as mínimas condições.

“Só não passamos fome por que o comandante estava com a gente. Até a nossa vinda foi adiantada por falta de alimentação”, expliou um soldado, que assim como os outros colegas PMs, estava com as despesas custeadas por contra própria. “Sabemos que em período de festa tudo fica caro no litoral. Qualquer lanchinho lá dava mais de R$ 4. E pra nós, que trouxemos o dinheiro contado, essa quantia pesa no bolso”, informou um dos revoltados com a situação.

SEM DIÁRIA NENHUMA
Foram 60 PMs, entre eles quatro mulheres, que saíram de Teresina no dia 26 sem diária nenhuma. A promessa era a de que deveriam receber no dia 28, mas o pagamento não foi feito nesta data. “O alojamento só foi possível depois que fomos nos humilhar para o prefeito da cidade que nos arrumou a escola perto do terminal rodoviário, e ainda tínhamos de dormir do lado de fora”, acrescentou. O comandante da Polícia Militar, coronel Francisco Prado, preferiu não entrar em detalhes e falu apenas que: “Esse pagamento está sendo feito. Se houve atraso, foi a parte burocrática”.

A reportagem do 180graus entrou em contato também com a tesouraria da Polícia Militar na manhã desta quartae foi informado que o pagamento havia sido feito. Os policiais negam. “Alguns receberam na terça-feira. Mas mesmo assim está errado, porque houve um atraso absurdo. isso é humilhante para nós”. De acordo com o capitão Sousa, da tesouraria da PM apenas cinco pagamentos tiveram problemas. Dois deles por problemas na conta e outros três por que o sistema da secretaria da Fazenda estava fechado devido ao período de recesso. Já os que foram pela DPRF e DPTRAN tiveram seus pagamentos feitos ainda no dia 15 de dezembro, garante. Mas não é isso que afirmam os policiais. A tesouraria informa ainda àqueles que se sentirem prejudicados, que procurem ou o banco e verifiquem se não houve um problema operacional ou então entre em contato a secretaria de Fazenda.

VEJA AS FOTOS DOS ALOJAMENTOS

REPÓRTER; Apoliana Oliveira

Edição: Apoliana Oliveira Fonte: 180 graus
Comentário: Que bom que os policiais militares estão tendo coragem de mostrar esta realidade. O governo do Estado do Piauí não tem nenhum compromisso com a categoria. Este desrespeito se repete a cada ano.
O PM não tem direito a hora-extra, não tem jornada de trabalho regulamentada, em transferência não recebe ajuda de custo… Isso em quase 8 anos de governo Wellington Dias do PT.
Vamos continuar denunciando.
Não esqueçam 2010 é ANO ELEITORAL!
(em tempo) Acrescento ainda o não pagamento da ajuda de custo que é previsto em lei estadual para os alunos do curso de formaçao de cabos e sargento. Nesse momento centenas de alunos CFC e CFS estão há quase seis meses sem receber a merecida ajuda de custo. Os “caras” ainda ameaçam os alunos de cancelamento do Bolsa Formação dos mesmos. O incrível é que o orçamento anual da PMPI é previsto tudo isso mas, na prática os policiais não recebem.

Artigos relacionados:

  1. Piauí. Policia Militar vai parar? Policiais Civis em assembleia no dia 25 em Teresina, decidiram...
  2. Piauí: Governo diz não ter condições de dar aumento pra PM fonte: Meio Norte – Efrem Ribeiro As associações de cabos,...
  3. Piauí: confronto entre policiais civis e militares Confronto entre civis e militares aconteceu por volta do 12h...
  4. Piauí: Policiais militares e civis Acompanhamos bastante preocupados os ultimos acontecimentos a cerca do confronto...
  5. Piauí: secretario de segurança ameaça PMs Veja matéria do Portal da AMEPI – Associação dos Oficiais...

2 ideias sobre “Piauí: Policiais denunciam

  1. Esse é governo do desenvolvimento…..bando de corruptos,
    safados…Não tem o mínimo de consideração e respeito
    por nós militares.

  2. Pingback: Wavatar Piauí: Policiais denunciam | Blogosfera Policial

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>